A Felicidade Bíblica e a Psicologia Positiva

@thaisrocholi
@thaisrocholi


Por Thais Oliveira

O tema da felicidade foi despertado em Santo Agostinho após ler Cícero. Ele concluiu que ter a posse de Deus é o que leva o ser humano à felicidade, como vemos neste diálogo:

- Pois bem, prossegui, admitis ser infeliz o homem que não é feliz?

- Sem a menor dúvida.

- Logo, é infeliz quem não possui o que deseja? Todos aprovaram.

- Então, o que o homem precisa conseguir para ser feliz? [...]

- Por conseguinte, estamos convencidos de que, se alguém quiser ser feliz, deverá procurar um bem permanente, que não lhe possa ser retirado em algum revés de sorte.

- Já concordamos com isso, diz Trigésio.

-Então, qual a vossa opinião? É Deus eterno e imutável?

- Eis aí uma verdade tão certa que qualquer questão se torna supérflua, interveio Licencio.

Em piedosa harmonia, todos os outros disseram-se de acordo.

Concluí então:

- Logo, quem possui a Deus é feliz! (AGOSTINHO, 1998a, p. 129-131)

Porém, a ideia de uma vida feliz, vitoriosa e livre no mundo contemporâneo está mais para o consumismo e padronização social nos valores democráticos liberais,  bem como o acontecimento da Revolução Americana, tal que é possível ter muita gente acreditando que ser feliz está mais para um objetivo político. Ser uma pessoa livre e dotada pelo seu criador de alguns direitos inalienáveis, consiste na busca por um objetivo na vida, como fala John Locke, o pai do Liberalismo. 

Aqui no Brasil já tem sido cogitado alguns projetos de lei para incluir na constituição o tema da felicidade, mas tornou-se também parte da sabedoria da psicologia moderna. Como não se tinha muita expectativa sobre a felicidade, o discurso era de que o universo não foi desenhado para ser algo contínuo, nem sequer a nossa estrutura, então devemos aceitar o princípio da realidade, buscar o bem-estar e gerenciar a dor e o prazer.

A felicidade na Bíblia é um assunto que segue uma questão de objetividade, quanto a seguir nossos propósitos para florescer. A verdadeira felicidade é ser tratado com justiça, ter uma alegria genuína e autêntica, valorizar e cultivar bons relacionamentos.

Precisamos reconhecer que há virtudes, comportamentos e hábitos que privilegiam o tema da felicidade, embora a solução buscada por muitas empresas são as terapias clínicas, e, assim, a felicidade contrapõe veementemente com a filosofia, o trabalho, a mídia, etc. Sendo este um tema que não é secular, mas cristão.

Como nós, cristãos, temos Cristo como senhor e governador do todo de nossas vidas. Reconhecer isso na psicologia é um grande problema hoje em dia, devido ao naturalismo e ao neopositivismo que domina a psicologia moderna. Frente à isso, quando se entende o conceito de Reino presente nas Escrituras, a sugestão dada é que os cristãos trabalhem pela expressão do senhorio de Cristo na psicologia.

Isto só acontece quando o cristão procura conhecer e praticar a psicologia diante de Deus, de um modo consciente de que toda verdade que envolve a natureza humana é uma expressão da mente de Deus, de que o pecado e a finitude tornam limitantes a capacidade de alguém assimilar a verdade, de que as Escrituras são necessárias para interpretar de modo apropriado a natureza humana, e, na verdade, a atividade do Reino deverá dar uma resposta fiel quanto ao governo de Cristo em nosso trabalho com as pessoas, sobretudo quanto ao conhecimento da natureza humana.

Embora a maioria dos psicólogos argumentem que psicologia e psicoterapia são disciplinas ou atividades que são relativamente neutras face a questões religiosas, a psicologia forma e reflete as atitudes do século XX no que toca a natureza humana, o resto cabe a nós verificar que a psicologia e a terapia modernas compartilham do positivismo, relativismo, individualismo e secularismo que dominam o pensamento moderno.

O que se há de fazer?

Deus conhece todas as coisas (1 João 3:20; Hebreus 4:13).

"Sabendo que, se o nosso coração nos condena, maior é Deus do que o nosso coração, e conhece todas as coisas." 1 João 3:20

"Nada, em toda a criação, está oculto aos olhos de Deus. Tudo está descoberto e exposto diante dos olhos daquele a quem havemos de prestar contas." Hebreus 4:13

Ele vê tudo o que as pessoas fazem (Mateus 6:8), e vê até mesmo o interior do coração humano (Jeremias 20:12).

Não podemos conhecer a Deus através da observação ou experiência, mas através das coisas eternas. Seu conhecimento existia antes da formação do mundo (Efésios 1:4,5; 2 Timóteo 1:9), o que se entende com isso é que ninguém pode acrescentar qualquer coisa ao seu conhecimento (Isaías 40: 13 em diante). Quando pensamos na criação, o conhecimento que não acaba sobre os detalhes deve-se ao fato de que Ele a formou.

Deus também conhece tudo o que possivelmente acontece no mundo e na história (Isaías 46:10), pois foi Ele que deu ordens para que acontecesse (Efésios 1:11); mas Ele também conhece o que poderia ter acontecido, bem como todas as coisas que a imaginação humana pode construir. Na verdade, Deus conhece o que deveria ser. Num mundo fora de ordem, há uma lacuna entre o que existe e o estado ideal das coisas. Deus é que sabe como planejou sua criação, então apenas Ele é capaz de revelar seu ideal para ela!

Páscoa - Pentecostes - Festa dos Tabernáculos

Imagem da internet
Imagem da internet

Por Thais Oliveira

Uma das coisas mais vívidas na vida dos cristãos, diga-se aí, eu e você, é que estamos experimentando um período muito importante de nossa caminhada, a Páscoa! Mas qual o significado de Páscoa Cristã?

Muitos de nós conhecemos a história da Páscoa como uma celebração da ressurreição de Cristo após sua morte e crucificação, e, principalmente, pelos vários costumes que foram adquiridos no período pascal, todavia, o que não é falado nessa época é que esse período vai do domingo da ressurreição até o domingo de Pentecostes, contando-se aí 50 dias, é um tempo de preparo para a descida do Espírito Santo da promessa!

A origem da palavra Páscoa é hebraica, Pessach que significa "passagem", expressando assim, a festa da ressurreição, o que marca o final do inverno e a chegada da primavera.

Durante as festas do Velho Testamento, Deus revelou em figura as três principais fases do seu plano: Páscoa, Pentecoste e Tabernáculos.

Todo ano, deveria completar o ciclo destas três festas (Êxodus 23:14-17; Deuteronômio 16:16). Se nós, como cristãos, estamos ansiosos pela consumação do plano de Deus, não podemos ficar satisfeitos somente com uma ou duas destas festas, é necessário e importante ter uma compreensão das três.

Ao caminharmos pela história, a festa da Páscoa se cumpriu de forma literal na primeira ceia e na morte de Jesus (Lc 22.7-20). Jesus, o Cordeiro Santo, Puro e Imaculado foi morto na mesma época em que os cordeiros simbólicos estavam sendo sacrificados.

Ao se celebrar a Páscoa e oferecer sacrifícios para Deus, o cordeiro simbólico deveria estar em estado perfeito, sem mancha e nenhum dos ossos deveria ser quebrado:

"Vocês a comerão numa só casa; não levem nenhum pedaço de carne para fora da casa nem quebrem nenhum dos ossos." Êxodo 12:46

Assim, tanto o Salmo 34:20 quanto Êxodo 12:46 se cumpriram, nenhum dos ossos de Jesus foram quebrados.

"Era o Dia da Preparação e o dia seguinte seria um sábado especialmente sagrado. Como não queriam que os corpos permanecessem na cruz durante o sábado, os judeus pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas dos crucificados e retirar os corpos.

Vieram, então, os soldados e quebraram as pernas do primeiro homem que fora crucificado com Jesus e, em seguida, as do outro.

Mas, quando chegaram a Jesus, constatando que já estava morto, não lhe quebraram as pernas." João 19:31-33

O Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo, o Messias, não teve seus ossos quebrados! Ao refletirmos sobre Jesus na cruz, pensamos na dor, no sofrimento durante todo o período da madrugada nas mãos dos Líderes Judeus, Pilatos e de Herodes. E de uma forma comprobatória para que houvesse reconhecimento de que Ele realmente estava morto, os soldados furaram com uma lança seu lado, de onde saiu água e sangue.

Nos alegramos com a morte de Jesus, porque Ele foi sacrifício por mim e por você, a fim de nos remir de nossos pecados. Não foi um sacrifício qualquer, foi um sacrifício Perfeito!

Tudo o que Ele passou está escrito nos livros dos profetas. De Gênesis a Malaquias podemos encontrar personagens bíblicos que simbolizam a vida de Jesus! Logo, podemos constatar que nada acontece sem um propósito!

De modo similar, o Pentecoste se cumpriu na data de sua celebração figurativa (Atos 2:1). Na mesma data em que a lei foi dada por Deus no Monte Sinai em tábuas de pedra, o Espírito Santo desceu para escrever a lei em tábuas de carne, em nossos corações!

A Festa de Pentecostes ou Festa das Semanas acontecia sete semanas depois da Páscoa (50 dias são sete semanas):

"Depois para vós contareis desde o dia seguinte ao sábado, desde o dia em que trouxerdes o molho da oferta movida; sete semanas inteiras serão.

Até ao dia seguinte ao sétimo sábado, contareis cinquenta dias; então oferecereis nova oferta de alimentos ao Senhor." Levítico 23:15,16

Depois vinha a Festa da Colheita dos Primeiros Frutos, chamando a atenção para a celebração do início da colheita do ano.

"No dia da festa da colheita dos primeiros frutos, a festa das semanas, quando apresentarem ao Senhor uma oferta do cereal novo, convoquem uma santa assembleia e não façam trabalho algum." Números 28:26

A festa do Pentecostes consistia na celebração como um meio de agradecer a Deus pela comida por Ele providenciada. Ocorria ao final da primeira colheita do ano e os judeus faziam um ajuntamento a fim de ofertar uma porção da colheita a Deus. A Festa de Pentecostes era uma grande celebração com um estimado respeito dos judeus em Jerusalém.

O Pentecostes também transformou-se numa comemoração da Lei de Deus! Após algumas semanas da primeira Páscoa, quando os israelitas saíram do Egito, atravessando o Mar Vermelho para chegar ao monte Sinai, lá, Deus deu a Moisés os Dez Mandamentos.

Na época de Jesus, muitos judeus viviam em outros países, no entanto, eles visitavam Jerusalém com o intuito de celebrar o Pentecostes:

"E em Jerusalém estavam habitando judeus, homens religiosos, de todas as nações que estão debaixo do céu." Atos 2:5

Quando Jesus morreu e ressuscitou na Páscoa, seus discípulos ficaram em Jerusalém para esperar a chegada do Espírito Santo.

Nessa ocasião tão especial, no domingo de Pentecostes, pela manhã, o Espírito Santo desceu como um vento forte e línguas de fogo e os discípulos começaram a falar em outras línguas que não conheciam.

"E, cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos concordemente no mesmo lugar;

E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.

E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.

E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem." Atos 2:1-4

É claro que ao se depararem com este episódio, os judeus de outros lugares se surpreenderam porque cada um ouvia a língua de seu país! Como então para que se cumprisse o propósito de Deus, Pedro pregou o evangelho para uma multidão e nesse dia três mil pessoas se converteram.

Agora, para um final feliz, que demonstra a esperança de todo cristão é que a última festa, a dos Tabernáculos, ainda não foi cumprida, mas está próxima a se cumprir, se cumprirá na segunda vinda de Cristo, da glorificação do nosso corpo e da plena habitação de Deus em nosso meio!

"E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus.

E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas." Apocalipse 21:3,4

Observem o tempo e as estações!!!


A segunda volta de Cristo


Revisado por Thais Oliveira

Em tempos de crise e grandes perseguições, nós cristãos cremos na segunda vinda de Cristo sendo mencionada mais de 300 vezes no Novo Testamento. O apóstolo Paulo fala sobre este evento cerca de 50 vezes. Outros falam que a segunda vinda aponta para oito vezes mais do que a primeira.

Como será a segunda vinda de Cristo?

A segunda vinda será de forma pessoal:

"E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também." (João 14:3)

"E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco. Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir." (Atos 1:10,11)

"Eis que venho em breve! Feliz é aquele que guarda as palavras da profecia deste livro". (Apocalipse 22:7)

Ele virá literalmente:

"Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor." 1 Tessalonicenses 4:16,17

"Eis que vem o dia do SENHOR, em que teus despojos se repartirão no meio de ti.

Porque eu ajuntarei todas as nações para a peleja contra Jerusalém; e a cidade será tomada, e as casas serão saqueadas, e as mulheres forçadas; e metade da cidade sairá para o cativeiro, mas o restante do povo não será extirpado da cidade.

E o Senhor sairá, e pelejará contra estas nações, como pelejou, sim, no dia da batalha.

E naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, para o oriente e para o ocidente, e haverá um vale muito grande; e metade do monte se apartará para o norte, e a outra metade dele para o sul.

E fugireis pelo vale dos meus montes, pois o vale dos montes chegará até Azel; e fugireis assim como fugistes de diante do terremoto nos dias de Uzias, rei de Judá. Então virá o Senhor meu Deus, e todos os santos contigo.

E acontecerá naquele dia, que não haverá preciosa luz, nem espessa escuridão.

Mas será um dia conhecido do Senhor; nem dia nem noite será; mas acontecerá que ao cair da tarde haverá luz.

Naquele dia também acontecerá que sairão de Jerusalém águas vivas, metade delas para o mar oriental, e metade delas para o mar ocidental; no verão e no inverno sucederá isto.

E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o Senhor, e um será o seu nome.

Toda a terra em redor se tornará em planície, desde Geba até Rimom, ao sul de Jerusalém, e ela será exaltada, e habitada no seu lugar, desde a porta de Benjamim até ao lugar da primeira porta, até à porta da esquina, e desde a torre de Hananeel até aos lagares do rei.

E habitarão nela, e não haverá mais destruição, porque Jerusalém habitará segura.

E esta será a praga com que o Senhor ferirá a todos os povos que guerrearam contra Jerusalém: a sua carne apodrecerá, estando eles em pé, e lhes apodrecerão os olhos nas suas órbitas, e a língua lhes apodrecerá na sua boca.

Naquele dia também acontecerá que haverá da parte do Senhor uma grande perturbação entre eles; porque cada um pegará na mão do seu próximo, e cada um levantará a mão contra o seu próximo.

E também Judá pelejará em Jerusalém, e as riquezas de todos os gentios serão ajuntadas ao redor, ouro e prata e roupas em grande abundância.

Assim será também a praga dos cavalos, dos mulos, dos camelos e dos jumentos e de todos os animais que estiverem naqueles arraiais, como foi esta praga.

E acontecerá que, todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém, subirão de ano em ano para adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos, e para celebrarem a festa dos tabernáculos.

E acontecerá que, se alguma das famílias da terra não subir a Jerusalém, para adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos, não virá sobre ela a chuva.

E, se a família dos egípcios não subir, nem vier, não virá sobre ela a chuva; virá sobre eles a praga com que o Senhor ferirá os gentios que não subirem a celebrar a festa dos tabernáculos.

Este será o castigo do pecado dos egípcios e o castigo do pecado de todas as nações que não subirem a celebrar a festa dos tabernáculos.

Naquele dia será gravado sobre as campainhas dos cavalos: SANTIDADE AO SENHOR; e as panelas na casa do SENHOR serão como as bacias diante do altar.

E todas as panelas em Jerusalém e Judá serão consagradas ao Senhor dos Exércitos, e todos os que sacrificarem virão, e delas tomarão, e nelas cozerão. E naquele dia não haverá mais cananeu na casa do Senhor dos Exércitos." (Zacarias 14:1-21)

A Bíblia revela que na segunda vinda de Cristo, os mortos ressuscitarão nessa ocasião. Com a morte vamos para Cristo, mas com a sua vinda, ele vem nos buscar.

Várias vezes tentaram determinar a data da vinda de Cristo, mas em nenhuma delas o Senhor veio no tempo marcado pelos homens. Ele declarou que o tempo de sua vinda está oculto nos conselhos divinos.

"Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai.

E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem.

Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca,

E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem.

Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro;

Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra.

Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor." (Mateus 24:36-42)

É bom que seja assim. Quem gostaria de saber com antecedência a hora exata de sua morte? O efeito seria perturbar e tornar as pessoas inúteis para o trabalho em vida. A noite se aproxima quando ninguém pode trabalhar.

"Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar." (João 9:4)

O mesmo raciocínio se aplica ao dia da morte desta era. Esse dia também não nos foi revelado, mas sabemos que será repentino.

"Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados." (1 Coríntios 15:52)

O dia virá quando ninguém está esperando:

"Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências, e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação." 2 Pedro 3:3,4 (2 Pedro 3:4).

O Senhor avisa seus servos: "Façam esse dinheiro render até a minha volta." (Lucas 19:13)

"Após a destruição de Jerusalém, os judeus expulsos de sua terra, vagarão por todas as nações, e a terra deles passará a ser subjugadas pelos gentios até o fim dos tempos, quando Deus julgará as nações gentias. E cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem." Lucas 21:24

Durante este período, os servos de Cristo levarão sua obra avante, pregando o evangelho à todas as nações (Lucas 19:11-27; Mateus 24:14)

Será um tempo de demora durante o qual a igreja muitas vezes será tentada a duvidar do retorno do seu Senhor:

"Então Jesus contou aos seus discípulos uma parábola, para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar.

Ele disse: "Em certa cidade havia um juiz que não temia a Deus nem se importava com os homens.

E havia naquela cidade uma viúva que se dirigia continuamente a ele, suplicando-lhe: 'Faze-me justiça contra o meu adversário'.

"Por algum tempo ele se recusou. Mas finalmente disse a si mesmo: 'Embora eu não tema a Deus e nem me importe com os homens,

esta viúva está me aborrecendo; vou fazer-lhe justiça para que ela não venha me importunar' ".

E o Senhor continuou: "Ouçam o que diz o juiz injusto.

Acaso Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele dia e noite? Continuará fazendo-os esperar?

Eu lhes digo: ele lhes fará justiça, e depressa" Lucas 18:1-8

...e, enquanto o Noivo demora, alguns se prepararão para isso e outros se tornarão negligentes:

"Então o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do noivo. Cinco delas eram insensatas, e cinco prudentes. Ora, as insensatas, tomando as lâmpadas, não levaram azeite consigo. As prudentes, porém, levaram azeite em suas vasilhas, juntamente com as lâmpadas. E tardando o noivo, cochilaram todas, e dormiram. Mas à meia-noite ouviu-se um grito: Eis o noivo! saí-lhe ao encontro! Então todas aquelas virgens se levantaram, e prepararam as suas lâmpadas. E as insensatas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas estão se apagando.Mas as prudentes responderam: não; pois de certo não chegaria para nós e para vós; ide antes aos que o vendem, e comprai-o para vós. E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o noivo; e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta. Depois vieram também as outras virgens, e disseram: Senhor, Senhor, abre-nos a porta." (Mateus 25:1-11)

Mas depois, de forma repentina, o Senhor aparecerá para fazer o ajuntamento de seu povo:

"E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles." Mateus 25:19

"Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal." 2 Coríntios 5:10

Mais tarde, quando o evangelho for sido pregado universalmente, e após o mundo tê-lo rejeitado, quando o povo estiver vivendo completamente ignorante quanto a iminente catástrofe, como ocorreu nos dias de Noé (Mateus 24:37-39) e nos dias de Sodoma (Lucas 17:28,29), o Filho do Homem virá em glória e poder para julgar as nações do mundo e nela reinar. (Mateus 25:31-46)


O Vaso de Alabastro e o Óleo Essencial de Nardo 

Imagem da internet
Imagem da internet

Por Thais Oliveira

Existem coisas na narração da Bíblia que espero que você reconheça e deseje adotar, e, certamente, coisas simples e profundas que trarão respostas para todas as suas questões. Estamos na semana da mulher. E qual mulher não gosta de usar um bom perfume, exalar cheiros agradáveis e fragrâncias? O perfume tem um significado muito profundo, pois é símbolo de vida que se opõe ao mau cheiro da morte.

Meu desejo hoje é que você se abra para compreender a profundidade do significado dos cheiros da Bíblia. No livro de João, há uma comparação entre o cheiro de morte e o cheiro de vida. Consultando João 11:39 vemos que até o momento em que Lázaro morto cheira mal, no outro versículo João 12:2-3, no banquete ao qual está presente quando ressuscitado, a casa exalou um bom perfume.

O perfume simboliza também o amor e para dar ênfase a este significado, basta analisarmos o vaso de alabastro de Maria irmã de Lázaro e Maria de Betânia, em dois episódios diferentes, numa atitude de fé, coragem e amor, derramaram na cabeça e nos pés de Jesus o óleo essencial de nardo. 

"Foi oferecido um jantar e, como de costume, Marta serviu a mesa, na qual estavam Jesus e Lázaro, entre outros" Lucas 10:40; João 12:2.

"Em determinado momento, durante a ceia, na presença dos discípulos, Maria pegou um arrátel[1] de unguento de nardo puro, de grande valor, e ungiu os pés de Jesus. Em seguida, passou a enxugar os pés de Jesus com os seus cabelos, de modo que a casa ficou perfumada com o cheiro do unguento" João 12:3.

O nardo é um óleo essencial precioso extraído de uma planta da Índia e por ser muito caro, não era difícil que muitos falsificavam. Esse óleo essencial era usado também para fins medicinais. O ritual com o nardo na Bíblia atribuía autoridade a alguém que iria exercer uma função, como a de profeta ou rei, mas a unção com nardo também era feita em alguém que necessitasse de cura.

No segundo episódio com Maria de Betânia, o evangelista Marcos deixa bem específico que o perfume é de nardo. 

"Estando Jesus em Betânia, reclinado à mesa na casa de um homem conhecido como Simão, o leproso, aproximou-se dele certa mulher com um frasco de alabastro contendo um perfume muito caro, feito de nardo puro. Ela quebrou o frasco e derramou o perfume sobre a cabeça de Jesus.
Alguns dos presentes começaram a dizer uns aos outros, indignados: "Por que este desperdício de perfume?" Marcos 14:3,4

Para especificar que o nardo derramado em Jesus por Maria de Betânia é puro, o evangelista emprega o termo autêntico e fiel.

"Porque podia vender-se por mais de trezentos dinheiros, e dá-lo aos pobres. E bramavam contra ela." Marcos 14:5

O valor do perfume correspondia a 300 dias do valor do salário de um operário. O fato de ser muito caro, a expressão do amor autêntico se refere ao livro de Cantares. 

Quantos dias do ano você tem exalado sua melhor essência de vida para Deus?

"Se alguém desse toda a posse de sua casa pelo amor, certamente seria desprezado" Cantares 8:7

Enquanto Judas pensava em tirar proveito ao trair o amor de Jesus, Maria de Betânia demonstra a Jesus um amor sem preço, porque o amor verdadeiro em 1 Coríntios 13:5 não se guia pelo dinheiro, não busca os próprios interesses. 

Podemos comparar o vaso de alabastro aos nossos corações, pois dentro de cada coração estão os perfumes mais caros e óleos de uma essência de alto valor e até muito rara. É o mergulho de entusiasmo dos seus sonhos, desejos, perfumes de uma essência humana protegida por um vaso de alabastro na espera de honrar o "noivo".

Mas aos pés de que noivo você tem quebrado este vaso? Será que de fato isso realiza as expectativas dos desejos do seu coração? É muito comum, que muitos de nós em algum momento da vida deixemos que a ansiedade e a prioridade de outras coisas façam parte de nossas vidas sem pretensão ao Noivo dos "noivos", até que passamos a perceber que aquilo que tanto ansiávamos não tem o cheiro da fragrância do nosso mais caro perfume, mas ficamos anos a espera desse noivo e deixamos de adorar ao Noivo dos noivos, até entrarmos em um desespero imenso quando não realizamos nossos desejos, não sentimos então o aroma de nossos próprios perfumes ao serem derramados, acabamos encontrando o cheiro do ressentimento do tempo sem muita beleza interior.

O amor, para ser verdadeiro, precisa ser um dom e no gesto de quebrar o vaso, estas mulheres  expressam a oferta da suas vidas da mesma maneira que fará Jesus.

Esse é um exemplo que deveríamos seguir. Derramar o perfume de nossas almas aos pés de Cristo, o perfume pode significar a mais profunda e delicada essência da alma, pois o tempo perdido ao se esperar que as coisas aconteçam só tem a ser lucro quando honramos nossas vidas a Deus.

Não existe maior recompensa do que o perdão de Jesus e sua honra sobre nossas cabeças.

As lágrimas de Maria de Betânia em Lucas 7:36-50 lavaram os pés do Senhor e enxugando com os próprios cabelos, embora nada tenha dado maior honra do que a quebra do vaso de alabastro com o óleo essencial de nardo, do mais caro e mais precioso. As duas mulheres deram a Jesus o que era mais difícil de se conseguir. Assim com fé, amor e coragem, que possamos derramar o perfume de nossa adoração, enchendo o átrio do Senhor!

Música para comunicação humana é uma coisa e para comunicação com Deus é outra


Thais Oliveira

Para mim, a vontade de levar uma palavra de esperança é muito maior do que apenas escrever. Dá muito trabalho, exige tempo e dedicação. O objetivo dos meus escritos é fazer com que todos se sintam abençoados. Não sou do tipo que escreve manual explicando o que fazer ou como fazer. Mas hoje quero falar sobre o significado da música, principalmente neste final de ano, em que é tão importante para nós cristãos o ato de agradecer pelo ano que se fecha e começar o novo. E nada melhor do que falar sobre o significado da música na Bíblia. 

Logo nos primeiros capítulos da Bíblia, vemos a música ocupando um lugar importante na sociedade. Os filhos de Lameque foram os iniciadores de três significativos segmentos sociais, os criadores de gado, os artífices e os músicos (Genesis 4:20-22)

Nem todos parecem estar cientes sobre os benefícios da música nas meditações diárias. Embora a música tenha se tornado um excelente meio de comunicação entre os seres humanos, é de fato um instrumento de comunicação com Deus. Os hebreus expressavam suas mais profundas emoções em composições poéticas, que eram feitas para serem cantadas. A estrutura da poesia hebraica não se baseava em ritmo, mas em modelos de raciocínio, harmoniosamente com ideias e antíteses. Não é errado afirmar que os salmos antigos eram sempre cantados, e, geralmente, com acompanhamento de música.

Cantar para Deus é um hábito! Um cântico era propício nas reuniões coletivas em todas as ocasiões. Seja nas festas, seja na solidão, era comum também que grupos de trabalhadores cantassem durante o trabalho. Quando Deus prometeu a Moisés que daria água ao povo, Ele os reuniu, e todos entoaram cânticos de louvor, dando o testemunho do poço que Deus lhes havia dado e que os príncipes haviam cavado. (Neemias 21:16, 17)

Na verdade, desde os povos antigos, o canto entre os cristãos teve um papel muito importante na hora de cultuar a Deus. O próprios Jesus cantava durante as cerimonias religiosas. Por ocasião da última ceia, antes de sair do monte das Oliveiras, Ele e seus discípulos cantaram um hino. (Mateus 26:30)

Como os primeiros cristãos que davam muito valor aos cânticos, de forma a abrir o coração para Deus e promover a edificação do Corpo, assim nos momentos de aflição, obtemos forças que se renovam através das canções! 

E que neste Natal possamos render louvores a Deus em gratidão pelo ano que passou!

As bençãos pelos atributos de Deus!

@thaisrocholi
@thaisrocholi


Por Thais Oliveira

Sendo Deus um Ser infinito, é impossível que qualquer criatura O conheça exatamente como Ele é. Mas pela Sua imensa bondade, Ele se revela a nós de uma forma que possamos O compreender! Se você quer saber como conhecer a Deus, tal revelação está nas Escrituras!

Antes de tudo, você sabe qual a diferença entre os nomes de Deus e os Seus atributos?

Importante, os nomes de Deus expressam a qualidade de todo o Seu Ser, já os atributos indicam vários aspectos do Seu caráter. Aqui irei falar sobre alguns dos atributos de Deus, o que para mim, é o que irá determinar os planos futuros!

Assim,  através das Escrituras e num balanço de final de ano, deixe que suas escolhas reflitam os atributos de Deus! O melhor agora é começar 2020 com uma nova perspectiva de vida e coração agradecido! 

Deus é Espírito (João 4:24), Ele pensa, sente e fala, assim pode ter comunhão direta com suas criaturas feitas à Sua imagem e semelhança. Por ser Espírito, Ele não está sujeito às limitações humanas do corpo físico.

Deus é Infinito (1 Reis 8:27), nenhuma parte existente em todo espaço infinito está separada de Sua presença ou de Sua energia e nada foge de Sua influência!

Deus é Eterno, existe desde à eternidade e existirá por toda a eternidade. (Salmo 90:2, Apocalipse 4:8-10). Ele é o mesmo ontem, hoje e para sempre! Se você crer nisso, saiba que você poderá descansar na confiança de que Deus é o seu refúgio e que pode segurar você em Seus braços eternos!

Deus é Sábio (Romanos 11:33), Sua sabedoria está associada à Sua Onisciência com Sua Onipotência. Ele tem poder para aplicar Seu conhecimento, afim de que Seus planos se realizem nos melhores meios possíveis! Ele opera o bem de forma certa e no tempo certo!

A providência de Deus está relacionada com o Universo como um todo, especialmente a Sua providência com os detalhes da vida de cada um de nós!

Deus é Soberano (Romanos 9:21), Ele tem todo o direito de governar nossas vidas em virtude de Sua infinita superioridade, de Seu domínio e de todas as coisas dependerem totalmente dEle para que existam!

Deus é Santo (Tiago 1:3), a santidade de Deus significa sua absoluta beleza moral, Ele não peca e nem tolera o pecado. Podemos perceber, assim, que a santidade de Deus é atributo que mantém a diferença entre Deus e a criatura. Portanto, quando Deus se revela a Si mesmo para impressionar o homem, Ele se mostra Santo!

Quando você é capaz de enxergar os atributos de Deus, passará a perceber o sentido da vida, passando a reconhecê-Lo como Aquele que lhe dá todas as bençãos espirituais e materiais!

A luta contra a solidão

@thaisrocholi
@thaisrocholi

Por Thais Oliveira

"E Acabe fez saber a Jezabel tudo quanto Elias havia feito, e como totalmente matara todos os profetas à espada. Então Jezabel mandou um mensageiro a Elias, a dizer-lhe: Assim me façam os deuses, e outro tanto, se de certo amanhã a estas horas não puser a tua vida como a de um deles. O que vendo ele, se levantou e, para escapar com vida, se foi, e chegando a Berseba, que é de Judá, deixou ali o seu servo. Ele, porém, foi ao deserto, caminho de um dia, e foi sentar-se debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte, e disse: Já basta, ó Senhor; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais. E deitou-se, e dormiu debaixo do zimbro; e eis que então um anjo o tocou, e lhe disse: Levanta-te, come." 1 Reis 19:1-5

Não há sentido na vida sem o nosso olhar que lhe confere forma, sem o nosso pensamento que lhe atribui alguma estrutura.

Solidão é um sentimento que nos coloca na zona de uma profunda sensação de vazio emocional e social. A palavra solidão deriva do latim solitas que significa, veementemente, falta de companhia. Mas a solidão a que se resume aqui é a involuntária, onde a pessoa, por várias circunstâncias, não deseja estar só, mas se restringiu pelo tempo e não se multiplicou nos afetos, ao contrário disso, sempre desejou reverter essa situação. A solidão provoca, frequentemente, angústia e uma profunda "dor na alma". É preciso mudar de perspectiva, ao invés de ser vítima, devemos olhar para Cristo que é o Autor de nossas vidas!

A solidão é um sentimento que causa angústia cada vez que pensamos haver celebração e no lugar colhemos a angústia, ou quando ansiamos por um encontro, na ocasião ela aí se manifesta. Solidão acontece quando mais de uma vez pensamos, mas não obtemos respostas. Necessário criar barreiras, e, simultaneamente, construir pontes com aquilo que nos cerca e o que ainda nos espera!

Alguns gestos, como o silêncio ou palavras de algumas criaturas vivas que na penumbra do inconsciente armam situações com o intuito de nos desarmar, também constroem com a gente pontes em cima de águas turvas e valas de mal-entendidos. Se formos parar para analisar, grande parte dos sofrimentos entre as pessoas acontece mediante a falta de comunicação e desencontros.

Toda essa trama de encontro e separação, terror e êxtase desencadeados são elementos de nossa existência, com implicações profundas de ordem espiritual, pode vir acompanhado de inquietação, desânimo, ansiedade, sensação de isolamento e vontade de se sentir útil para alguém, mas a solidão integra sentimento de perda e a vida se torna sem propósito. Não existe uma forma mais eficiente de destruir uma personalidade do que isolá-la.

Para a Palavra de Deus, a solidão é um estado com implicações espirituais. Antes da queda do homem no Éden havia uma completa comunhão de Adão e Eva com Deus, com a natureza, com ele mesmo e com o seu semelhante (sua mulher), assim constatamos então que, humanamente, o homem não sabia o que era sentir solidão. (Gênesis 2:18-25)

O pecado, além de gerar a morte espiritual do homem, também alterou a forma de ser e de se comportar do homem, manipulando sua consciência sobre Deus, si mesmo, os outros e a natureza. (Gênesis 3)

O resultado do pecado foi a morte espiritual, que veio acompanhado de sentimentos de vergonha e medo, e também causou um saldo negativo na inteligência emocional do homem, tais efeitos se manifestam na obviedade dos prejuízos ao se querer desenvolver as relações intrapessoais e interpessoais e não conseguir, e principalmente nas habilidades para desenvolver uma relação de intimidade e de comunhão espiritual com o Deus Criador.

Há um enfraquecimento psicológico e emocional que afeta a autoestima das pessoas abaladas, algo tão sério que a tendência é arrastar-se presa aos cadáveres para o fundo do poço, totalmente desprovida de qualidades ou esperanças, foi o que aconteceu com o profeta Elias que buscou refúgio no deserto com a intenção de esperar a morte dormindo.

O medo que acompanha este estado desencadeia insegurança e angustia, e é exatamente aí que existe a atuação dos espíritos malignos, mas não devemos nos enganar diante de nossos dramas humanos, na relativa lucidez veremos que Deus nos cobriu com os sentimentos de poder, amor e moderação!


O amor Ágape

Por Thais Oliveira

Entre os maiores mistérios da vida estão os segredos do ser, do conhecimento, do amor, das realidades puramente espirituais, da causa primeira e principalmente da vida íntima de Deus. Assim, quando falamos sobre o amor saímos pela busca da resposta no aprofundamento, concentração e mergulho na ligação com o mistério.

Há no grego pré-bíblico vários verbos que significam "amor", diz-se: eran: relacionado ao amor passional, com o desejo de possuir o outro; filein: aponta para a inclinação do afeto imediato do amigo para com o amigo; agapán: relacionado ao sentimento de estar alegre por alguma coisa, geralmente significa acolher, saudar, tratar com as honras devidas, mirar alguma coisa, ver com bons olhos alguém ou alguma coisa.

No hebraico a tradução do conceito de amor é encontrado nas palavras: ahaba, assim como também nas palavras aheba, ahab, ohab, etc., que ao se traduzir para o grego quase sempre se recorreu ao termo substantivo feminino agápe e ao verbo agapán. No entanto, desconsidera-se completamente o emprego de éros, erán. Além disso, soube que raramente se utilizam os termos philía, philéin, que aparecem, na maioria das vezes em contextos não religiosos. Por isso, o substantivo feminino agápe (com o acento na segunda sílaba) ressalta o amor a Deus. A compreensão do significado de Amor se deveu ao pensamento grego que foi influenciado pelos ideais cristãos. Se pudermos aprender a elevar a nossa atenção ao amor-Ágape do Novo Testamento, a experiência com Deus se tornará mais completa, como também nos proporcionará uma nova forma de pensar, em que entenderemos melhor sobre o tempo e a vida!

E com dedicação, nosso relacionamento com Deus passa a florescer de um jeito que pode marcar nossos dias para sempre! Há dois mandamentos que se apresentam como fundamentais na vida cristã. O primeiro deles quando Jesus nos diz:

"E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes." Marcos 12:29-31

Não há mandamento superior a estes. O apóstolo Paulo reforça as recomendação de Jesus, ao discursar sobre o amor elevando as três virtudes idealistas cristãs: a fé, a esperança e o amor.

"Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta." 1 Coríntios 13:1-7

O primeiro significado do amor-Ágape é o de oferecer a primazia a Deus e, depois, temos o amor entre os homens como o princípio e como o mandamento, por excelência, da conduta cristã. Mas, não o amor Eros (e seus ciúmes) ou mesmo o amor Fília (e seus interesses), aqui, no amor Ágape, temos um amor doação.

Uma palavra final, é que o amor cristão, o amor que busca o sentido Ágape, não surge entre os homens. Ele é uma dádiva, um dom que emana de Deus como o mais alto dos sacrifícios: Jesus, a própria manifestação de Deus que morreu na cruz por amor aos homens, por Ele devemos construir a ponte como sinal de reconhecimento de sua morte e ressurreição por todos os homens. O apóstolo João faz uma exortação a todos os cristãos dessa revelação:

"Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos. Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados. Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros."1 João 4:7-11

Dessa forma, o amor, quando encontrado na comunidade dos cristãos é sinal da presença de Deus, do seu espírito, que é Ágape:

"Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeito o seu amor. Nisto conhecemos que estamos nele, e ele em nós, pois que nos deu do seu Espírito." 1 João 4:11-13

Não tenhamos dúvidas quanto ao amor verdadeiro, o Ágape, que enquanto amor cristão se revela de forma eficaz na caridade e na misericórdia. É bem simples o exercício do amor-ágape o que implica a benevolência, a complacência, a compaixão, a indulgência e o perdão ilimitados.


Qual o perfil do peixe?

Por Thais Oliveira

Sempre acreditei que o mundo era composto de partículas e ondas. Hoje creio que a existência é a expressão de uma mensagem.

Sou cristã... Até onde deve ir minha imaginação?

Meus amigos dizem que minha imaginação corre solta. Mas continuo me protegendo para não ser levada demais por ela. Tal pergunta, antes de ser teológica ou cristã tem uma conotação antropológica. Seria como dizer ao peixe: "Não nade demais na água para não se afogar". Não é surpresa que ele foi criado na água e para a água. A água faz parte do ser e do seu habitat natural. A propósito, o peixe não vive sem a água e pronto!

Necessário que o peixe saia numa missão de reconhecimento para se dar conta de que está envolto pela água. Estando perfeitamente alerta ao que lhe é prejudicial, nada de catástrofes! O peixe não vai se meter num esgoto para se contaminar, ou numa correnteza de água, que ele sabe que vai arrastá-lo para lugares que coloquem em risco o que lhe é íntegro. Não é atrativo e também não vale a pena!

Consultar astrologia é uma idolatria, expressamente, proibida pela Palavra de Deus:

"Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro. Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos. Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti." Deuteronômio 18:10-12

Se você se preocupa com o seu futuro e já perdeu o norte de sua vida... Coloque suas expectativas na Palavra de Deus e não em mera superstição. A astrologia é maléfica, porque transmite às pessoas uma mentalidade fatalista e alienante que nega a liberdade do homem e a soberana onipotência de Deus.

Endurecido é o coração que não se arrepende, pois a maior resistência à verdade cristã acontece quando os cristãos se apresentam arrogantes, em vez de humildes. Portanto, concentre-se numa cultura que reflita a natureza humilde de Jesus.

"Portanto, se há algum conforto em Cristo, se alguma consolação de amor, se alguma comunhão no Espírito, se alguns entranháveis afetos e compaixões. Completai o meu gozo, para que sintais o mesmo, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, sentindo uma mesma coisa. Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si" Filipenses 2:1-7

As pessoas hoje, sentem aversão pelo tom de superioridade ou arrogância sobre o que é a verdade. Mas acredito veementemente que sermos humildes e francos sobre as reais limitações que temos quanto a saber toda verdade, pode ser transcendentalmente importante.

Por fim, a verdade humilde não se envergonha de apresentar o que sabe ser verdade e por que crê ser verdade!

Cultura e tolerância religiosa

Por Thais Oliveira

Nas férias é bom passar um tempo imerso em algo diferente, uma paisagem, uma cultura e até mesmo um idioma diferente, já pensou no Tupi Guarani? Ou no Quíchua? Não é preciso ir para as montanhas dos Atlas, nem no Ártico, mas conhecer outras culturas é vital!

Com o passar dos tempos, tenho descoberto que a maior preocupação das pessoas em relação ao cristianismo talvez seja o orgulho e a arrogância religiosa. Algumas pessoas têm me questionado sobre as outras religiões farejando em mim orgulho ou arrogância, por pensar que eu acho que todo mundo está errado. Bem, não é muito inacreditável que existam pessoas em todas as religiões que se acham as donas da verdade!

Há muitos líderes religiosos que caem em escândalos morais e éticos. Muita gente sabe que a Igreja Católica se envolveu em massacres e guerras em nome da fé "certa". E talvez você pense que a religião sempre está interessada em dinheiro e poder político arrogante.

Bem, você já deve ter ouvido que Jesus é o único Caminho e, muitos, sobretudo, já atenderam ao chamado do evangelho, sabendo que a melhor escolha que se pode fazer é Cristo. E o que pode está mais perto de Cristo senão o próprio Deus que se fundiu num Deus em três Pessoas - O Pai, o Filho e o Espírito Santo? Quem ainda não conheceu, talvez tenha crises de nervos em pensar em mudar de vida. É preciso caminhar no Caminho, mas calma! Não espero que você saia correndo para fazer tudo perfeito! Nem sempre o nosso caminho é absolutamente o correto. Quem pensa que é certo em tudo, não é nada menos do que orgulhoso e arrogante, tanto quanto aqueles cristãos da Idade Média que mataram judeus e muçulmanos.

Os cristãos (leia-se nós) devem ter um coração humilde e disposto sempre a aprender, pois toda verdade é a verdade de Deus, e a verdade não tem nada a temer. Quando reconhecemos que não somos donos da verdade e que a arrogância religiosa causou problemas no passado nos comunicamos de fato com a motivação certa do coração.

Se você conhece a história da religião ou da filosofia, suponho que já percebeu que todas as culturas de todas as épocas tentaram explicar algumas perguntas básicas. Todas as religiões do mundo nos contam uma história por nossa busca cega por significado e propósito. É demasiadamente indiscutível que as culturas de todos os tempos, na humanidade tem procurado explicar nosso relacionamento com o universo e como viver melhor essa vida de acordo com uma bússola moral no interior no coração de todo ser humano.

De modo geral, as pessoas dizem coisas semelhantes a respeito do certo e do errado. A semelhança do código moral de todas as grandes religiões é um grande mistério. É como se quase toda compreensão natural do certo e do errado viesse de dentro. De fato, é exatamente o que a Bíblia ensina:

"Quando, pois, os gentios que não têm lei, procedem por natureza de conformidade com a lei, não tendo lei, servem eles de lei por si mesmos. Estes mostram as normas da lei gravada nos seus corações, testemunhando-lhes também a consciência e os seus pensamentos mutuamente acusando-se ou defendendo-se; no dia em que Deus, por meio de Cristo Jesus, julgar os segredos dos homens de conformidade com o meu evangelho". Romanos 2:14-16.

Aqui contém os princípios básicos do julgamento divino por meio da luz que trás a tona pensamentos secretos e motivações.

Mas as religiões que têm no mundo não têm a verdade? A partir dessa dúvida, é importante explicar algumas diferenças básicas. O que ocorre é que as religiões não proclamam a Cristo. Embora alguns cristãos tenham agido como se não existisse nenhuma verdade nas religiões, o apóstolo Paulo percebeu quando buscava alcançar a cultura grega politeísta, que Deus age nos bastidores em todas as culturas, e nós podemos encontrar evidências da verdade em qualquer lugar que construir pontes que levem a fé em Cristo.

Em Atos 17, enquanto Paulo esperava Timóteo e Silas em Atenas, ele ficou totalmente incomodado com as centenas de ídolos representativos de Zeus, Afrodite e de todos os deuses gregos. Com todo zelo que tinha com a Palavra de Deus, ele poderia dizer que os gregos estavam errados por adorar ídolos. Entretanto, é impressionante constatar que anos antes, Jesus lhe havia ordenado: "Eu o envio para abrir-lhes os olhos e convertê-los da trevas para a luz" Atos 26:17b:18a

Paulo compreendeu que para que eles tivessem entendimento, precisariam enxergar a luz do verdadeiro Deus que já estava trabalhando entre eles. E assim o apóstolo Paulo andou e observou todos os líderes sombrios até encontrar um vestígio de luz. Demonstrando uma incrível tolerância e autocontrole, Paulo então encorajou os atenienses, dizendo: "Atenienses! Vejo que em todos os aspectos vocês são muito religiosos, pois andando pela cidade, observei cuidadosamente seus objetos de culto e encontrei até um altar com esta inscrição: AO DEUS DESCONHECIDO. Ora, o que vocês adoram, apesar de não conhecerem, eu lhes anuncio." Atos 17:22, 23

Em cada região ou local do mundo, há culturas únicas criadas por paradigmas sociológicos políticos, religiosos e históricos. Mas, quando se estuda a cultura, tanto a antropologia como a missiologia não têm como intenção mudar a cultura, mas interpretar em cada contexto a mensagem de Cristo a cada cultura em particular, compreendendo o tempo em que vivemos.

Exemplar exclusivo de Deus

É possível que muitas pessoas se perguntem: O que Deus vê em nós, simples mortais para que tanto se importe? Definitivamente, existem pessoas mais habilidosas que nós, com palavras mais eloquentes, aparência incomum, com admiráveis destaques em tudo o que faz. No entanto, se os olhos de Deus estivessem voltados apenas para os nossos talentos, Ele poderia acabar com o mundo todo, deixando apenas aqueles que tivessem maior notoriedade em virtude e perfeição. Mas, ao nos depararmos com a Palavra de Deus, nos vem a revelação vívida de que o Senhor vê o grande e o pequeno. Se importa com a viúva, com o pobre, com o órfão e com o estrangeiro.

"E não oprimais a viúva, nem o órfão, nem o estrangeiro, nem o pobre, nem intente cada um, em seu coração, o mal contra o seu irmão." Zacarias 7:10

Surgem então muitas indagações! Mas por que minha vida tem valor para Deus?

No livro de Gálatas está escrito que fomos separados desde o ventre materno e até o nosso nome o Senhor chamou:

"Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça, revelar seu Filho em mim, para que eu o pregasse entre os gentios, não consultei carne e sangue." Gálatas 1:15,16

A ligação existente entre todas as passagens bíblicas pode ser refletida neste versículo: "Antes mesmo de te formar no ventre materno, Eu te escolhi; antes que viesses ao mundo, Eu te separei e te designei para a missão de profeta para as nações!" Jeremias 1:5

Dentre bilhões de possibilidades, fomos gerados para o propósito de Deus na terra. Deus fez cada pessoa diferente da outra, dentre trilhões de possibilidades e planos específicos.

E a exemplo disso, no Salmo 139, Davi disse que se ele pudesse contar os pensamentos de Deus, seria uma tarefa impossível, porque são mais numerosos que a areia do mar. Ao meditarmos nesta Palavra, somos inseridos dentro do contexto ao qual pertencemos:

"Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem; os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda." Salmo 139:14-16

Você sabe qual é a sua missão na vida? Ainda não encontrou, mas procura de todo coração e mais profunda intensidade? Chega aos seus pensamentos perguntas como essa: Qual o legado que irei deixar para o mundo antes de partir para a eternidade? O que vou falar para Deus no meu último fôlego de vida?

O Senhor escolheu Moisés, um homem que sofria de gagueira, para liderar a libertação do povo israelita das amarras da escravidão do Egito. E o que dizer de Davi, pastor de ovelhas, magro e inofensivo, escolhido por Deus para ser o maior rei da história de Israel? Não duvide, porque o Senhor enxerga além do que os olhos podem ver. Ele vê o coração:

"O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas Deus vê o coração." I Samuel 16:7

Pode até passar pelo nosso coração que as pessoas praticantes da bondade, ou que nunca fizeram mal a ninguém são boas, ou que são perfeccionistas em todos os seus atos. 

Embora pelo seu significado a palavra perfeccionismo tenha como interpretação de um voltar-se para o esforço extremo para deixar tudo perfeito, no sentido religioso, a palavra em si aponta para a tentativa de viver sem pecado, com perfeita moralidade.  Se você se norteia pelo perfeccionismo: muito cuidado.

 Jesus afirma expressamente que não existe ninguém bom do ponto de vista de Deus:

"E, pondo-se a caminho, correu para ele um homem, o qual se ajoelhou diante dele, e lhe perguntou: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? E Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom senão um, que é Deus." Marcos 10:17,18

A nossa missão, enquanto cristãos, é disseminar a Vida de Cristo. Tudo vem dEle, é por Ele e para Ele.

Jesus se importa com a sua vida e sem sombras de dúvidas, você encontrará respostas na Bíblia, ao se deparar com os heróis da fé. Todo mundo passa por dores, lutas, limitações, mas Cristo nos acolhe com Seu infinito amor, e ainda assim, enxerga beleza em nossa feiura!

E quanto mais você O buscar... bom, você pode imaginar.

Uma palavra final sobre suas escolhas: O Senhor chama o Seu povo de Igreja, e nós como Igreja seremos gloriosa. Se você se reconhece como povo de Deus, já está sendo aperfeiçoado em graça, misericórdia e humildade!

A alegria de Conhecer a Deus

@thaisrocholi
@thaisrocholi

Por Thais Oliveira

Nada é mais significativo do que nossa caminhada cristã. Nossa maior expectativa quando fazemos a escolha de conhecer a Cristo, é que podemos passar por muitos "altos" e "baixos", como todos nós estamos sujeitos a passar na terra, mas o cristão sabe que tudo isso serve para amadurecimento espiritual "até que cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, á medida da estatura completa de Cristo"( Efésios 4: 13).

Devemos considerar que a vontade de Deus é que seus filhos procurem conhecê-Lo a cada dia mais, e assim, transformem-se em participantes da Sua natureza, que é auspiciosa e encorajadora!

Alguns, por sua busca estritamente incessante, têm despertado, subitamente, afim de desfrutar de uma intimidade maior com o Pai Celestial, e assim, entra em cena um novo começo em enxergar nossas orações sendo respondidas. É como perceber a música em nossos ouvidos com a maestria do Espírito de Deus em nossas vidas. Eu não troco por nada nesse mundo!

"Sabendo que, se o nosso coração nos condena, maior é Deus do que o nosso coração, e conhece todas as coisas." (1 João 3:20) Tudo Ele conhece e nada passa despercebido de Seus olhos. Conhecer quem nos conhece através da Bíblia é muito mais do que uma distração de um livro qualquer. Há quem chame isso de virtudes de privações, com listas de regras do que pode ou não pode se fazer na vida, mas eu chamo isso de receita de alimento espiritual para se comer demais!! Ele observa tudo o que as pessoas fazem e diz em Sua Palavra: "Não sejam iguais a eles, porque o seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de o pedirem." (Mateus 6:8), e enxerga até mesmo o interior do coração humano "Tu, pois, ó Senhor dos Exércitos, que provas o justo, e vês os rins e o coração, permite que eu veja a tua vingança contra eles; pois já te revelei a minha causa." (Jeremias 20:12). 

Seu conhecimento não é alcançado através da observação ou da experiência, mas é Eterno. O conhecimento de Deus existe antes de o mundo ser formado "Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade." (Efésios 1:4,5), no entanto, ninguém pode acrescentar qualquer coisa ao seu conhecimento. (Isaías 40:13).

Deus também conhece todas as coisas possíveis. Deixe-me explicar: Ele conhece tudo o que vai acontecer na história. Em Isaías 46:10 está escrito: "Que anuncio o fim desde o princípio, e desde a antiguidade as coisas que ainda não sucederam; que digo: O meu conselho será firme, e farei toda a minha vontade." (Isaías 46:10). Para dar mais confirmação ainda: "Nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade" (Efésios 1:11) Ele também conhece o que poderia ter acontecido, e até mesmo todas as coisas que a imaginação humana pode construir. Em um mundo de pernas para o ar, há uma lacuna que precisa ser ocupada no estado de coisas ideal. Só Deus é que sabe o que planejou para a Sua criação, então somente Ele é capaz de revelar seu ideal para ela.

"Porquanto, Deus lhe responde na alegria do seu coração" (Eclesiastes 5: 20 b).

Não podemos nos deixar enganar, pois para desfrutar de uma comunhão plena com Cristo, somos impelidos a ter um coração alegre e submisso ao Seu senhorio!

"O coração alegre serve de bom remédio, mas o espírito abatido virá a secar os ossos" (Provérbios 17: 22).

Sinta a conexão... É a Vida cristã de ser!! Os ossos formam a estrutura do nosso corpo; o nosso alicerce. Da mesma maneira, nossa estrutura espiritual precisa estar bem alicerçada para que todo o restante possa se firmar. E se você não consegue se firmar, saiba que a fé na Palavra de Deus têm o poder de fortalecer nossa estrutura espiritual e trazer o equilíbrio indispensável para uma vida de plenitude!

Nenhuma satisfação é mais elementar, dar mais vida do que o prazer de conhecer a Deus através de Jesus Cristo, pois conhecê-Lo transforma a nossa maneira de ser, nos faz reagir às condições e estímulos do meio que nos cerca. Desta forma, nossos sentidos não precisam dos excessos e experiências inferiores, pois Cristo Jesus é a nossa maior alegria e garantia de segurança para a Vida Eterna!

O Novo Nascimento, o que isso significa?

@thaisrocholi
@thaisrocholi

Por Thais Oliveira

Na Bíblia, o livro de João fala do novo nascimento. Em João 1:12-13: "Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu Nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus". Se ficarmos atentos a esse versículo descobrimos que ser filho de Deus não é algo que vem pela descendência e muito menos por nossas próprias decisões humanas e independentes, como está claro que não é da vontade da carne, mas de modo exclusivo da ação divina.

Para sermos filhos de Deus, precisamos ser gerados no Espírito por Ele. "Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus" (1João 5:1). É esclarecedor que a regeneração vem antes da fé. Basta observar o verbo "nascer" nesse versículo, o tempo verbal não está na frase assim: "todo aquele que crê, nasce de Deus", mas afirma que "é nascido de Deus". O tempo verbal do verbo nascer é perfeito, que no "grego equivale ao tempo perfeito no idioma português, caracterizando uma ação que pode ser observada como tendo sido completada no passado, de uma vez por todas, não necessitando ser repetida" (Bíblia de estudo Strong). O verbo crer no versículo está no presente, já que "o tempo presente significa uma simples declaração de um fato ou realidade, observada como algo que ocorre neste momento". (Bíblia de estudo Strong).

Assim, "todos quantos O receberam", isso significa que todos aqueles que creem em Jesus, são filhos de Deus, no entanto, até mesmo a nossa fé pela qual cremos em Jesus é um dom de Deus (Efésios 2:8-9), logo, a fé faz parte da ação de Deus para a salvação humana. O novo nascimento ou regeneração é uma obra absolutamente divina feita pelo Espírito no coração do pecador.

Não há texto que denote tal ensinamento tão bem sobre a soberania de Deus na regeneração humana  como em (João 3:1-15).

Nicodemos foi um fariseu e ao se pesquisar os evangelhos, nos deparamos sempre com as oposições destes em relação a Jesus. Os publicanos e os coletores de impostos que faziam oposição a Jesus, foram os fariseus. Jesus nunca tratou mal as prostitutas e nem os ladrões, mas tratou com severidade os fariseus religiosos, que diziam seguir toda a Lei, fazendo com que as pessoas a guardassem como um fardo pesado. Muitos deles tinham apenas aparência de que guardavam, mas por dentro não tinham nada de bom, apenas fingiam.

Jesus vendo as dificuldades de Nicodemos para compreender as palavras dEle, ressalta: "Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Porventura, pode tornar a entrar no ventre de sua mãe e nascer?" (João 3:4)

Um nascimento é algo que acontece independentemente do nascido. Ao nascermos não pedimos aos nossos pais para nascermos, não é por decisão própria, nem por força de vontade. Nossos pais planejaram a nossa geração, com muita dor e sofrimento e nós nascemos! E é assim que acontece no mundo espiritual!

No novo nascimento, a nossa dependência é pela ação do Espírito Santo. Ele é quem tem o domínio em nossa regeneração. Jesus nos doutrina que: "O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito" (João 3: 8). A ação feita pelo Espírito Santo no novo nascimento tem soberania tanto quanto a ação do vento, que sopra onde quer. Aliás, a ação do Espírito Santo é um mistério, como os movimentos do vento.

Ao falar que "o que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito" (João 3: 6), Jesus não está se referindo a "carne" com relação à "natureza humana escravizada pelo pecado", como o apóstolo Paulo fala em seus textos, mas a conotação é de "fraqueza humana". O significado do que Jesus fala no versículo é que aquele que possui somente o nascimento físico continua na condição de uma pessoa não regenerada, mas ao contrário disso, aquele que é nascido do Espírito se torna uma pessoa regenerada, arrependida, um filho de Deus!  Em vista disso, a regeneração provoca em nosso interior uma mudança real, em passarmos da condição de criaturas de Deus para nos tornarmos filhos de Deus, legítimos! Para isso, basta Crê em Jesus!

A Misericórdia e a Graça de Deus

Imagem internet.
Imagem internet.

Por Thais Oliveira

"Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um." Romanos 12:1-3

Com o estudo da Bíblia e com a revelação do Espírito Santo somos ensinados a respeito da Graça de Deus que nos mostra quem somos:

Ah! Se não fossem as misericórdias de Deus como seria minha vida? Seria a mais miserável de todas! E a Graça? Que me faz crer e amar a Deus com todas as minhas forças!

As misericórdias de Deus são mencionadas como o alicerce do que fazemos. No final de Romanos 11, há um louvor à misericórdia de Deus, que significa sermos poupados daquilo que realmente merecemos receber. Romanos 12 é uma convocação ao sacrifício de nossas vidas a Deus, tendo como fundamento as misericórdias do Senhor.

Sermos transformados pela renovação de nossa mente, significa não apenas ter novas ideias, mas renovar o nosso "paladar", pois a Palavra de Deus é alimento para o Espírito. Passamos a ter uma mudança na forma de perceber as coisas.

O sacrifício de Cristo teve como propósito glorificar a Deus, tirando o pecado do mundo. O pecado trouxe a morte, a ruína da Criação. Mas pela misericórdia de Deus, Jesus foi sacrifício para a glória do SENHOR. E assim, simultaneamente, Cristo resolveu o problema do pecado e da glória de Deus, fazendo-se sacrifício para a salvação dos homens ao morrer por todos, levando sobre Si os pecados daqueles que nEle creem.

"No dia seguinte João viu Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." João 1:29

Ninguém precisa pagar nada! Por que tudo é pela Graça!

Por que?

"para que ninguém se glorie" Efésios 2:9

Deus não divide a glória dEle com ninguém, se tentarmos fazer um acordo com Deus falando para Ele o que nós fazemos aqui na terra para sermos salvos é uma obediência sem Graça, agora se nós dependermos dEle, temos a Graça e damos toda a glória a Ele pela obra da salvação de Jesus Cristo!

"Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo Seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossas ofensas" Efesios 2:4-5.

Tanto a misericórdia quanto o amor de Deus são nos dado em Graça, no mais puro e imerecido favor! E mesmo assim, a Graça que Deus nos oferece transcende nosso entendimento.

A obra feita por Jesus foi esplendorosa o bastante para perpetuar para a Vida Eterna! 


Sobre mim:

Meu nome é Thais Oliveira, mais conhecida como a Thais Rocholi, sou revisora e copywriter e uma das muitas partes do Corpo de Cristo, um ser humano que reconhece suas imperfeições e limitações, trabalhando para levar avante o Projeto de Vida Eterna que Deus tem para mim e para você! 


Contate-me

thaisrocholi.rj@gmail.com

A rebelião no Céu

@thaisrocholi
@thaisrocholi

Por Thais Oliveira

Resolvi escrever sobre este assunto, porque algumas pessoas me questionaram sobre qual foi o pecado de Lúcifer. Por que na eternidade ele teve inveja de Deus? Como pode ter nascido esse sentimento no ser mais exaltado de toda a criação (Ezequiel 28:13,15)? Não há muitos relatos na Bíblia sobre a origem de Lúcifer, felizmente não, pois, mesmo não tendo, há quem perca muito tempo falando mais dele do que de Cristo. Tudo que falamos de sua queda está em Ezequiel 28:1-10, tal qual o profeta fala do Rei de Tiro, onde tais atributos podem ser cedidos ao ser humano representado por este rei.

Em Ezequiel 28:12, 13 está escrito que o diabo foi criado perfeito, cheio de sabedoria e formosura desfrutando da vantagem de estar no Jardim do Éden [a referência não é ao do Éden terreno que Satanás invadiu para tentar a humanidade, porém a da sala do trono em que Deus habita em absoluta majestade e perfeita pureza (Isaías 6; Ezequiel 1)]. Está descrito que ele foi adornado com pedras preciosas. Ele foi chamado de "querubim ungido", no verso 14 uma posição de destaque com livre acesso à presença de Deus. Todavia, ainda que sendo criado sem pecado, no verso 15 está escrito que ele pecou por causa do orgulho da posição que ocupava. Como consequência de seu pecado, Satanás perdeu sua posição elevada e foi atirado para fora da morada de Deus, sendo julgado e finalmente arremessado para a terra.

A queda de Satanás se deu em algum momento depois da criação, dado que em Gênesis 1:1,2 consta que: "No princípio criou Deus os céus e a terra, e a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo. E o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas".

Havia o caos em um universo carente de luz, e também um abismo. Deus é perfeito e estava separado da desordem, do pecado e da destruição. É claro que Deus não criou a terra em ruínas, pois em Isaías 45:18 está escrito: "Porque assim diz o SENHOR que tem criado os céus, o Deus que formou a terra, e a fez; ele a confirmou, não a criou vazia, mas a formou para que fosse habitada: Eu sou o SENHOR e não há outro."

Como não há muitos relatos sobre "animais superiores" também, dentro das minhas crenças pessoais, eu acredito que Satanás se rebelou juntamente com os anjos e seres que seriam os habitantes da terra, designados demônios ou espíritos imundos. "E houve batalha no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e o dragão e os seus anjos batalhavam; Mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus. E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi lançado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele." (Apocalipse 12:7-9)

As florestas e os fósseis de "animais superiores" dentro das minhas crenças são desta época. Quando Deus julgou Satanás, seus demônios e espíritos imundos, o Universo perverteu-se num estado de caos e escuridão por incontáveis eras, mas Deus transcorreu em luz, restaurando a terra em seis dias conforme consta no livro de Gênesis, afim de que o homem habitasse.

No meio do jardim, perto da árvore da vida, estava a árvore do conhecimento do bem e do mal (Genesis2:9) . Essa árvore havia sido divinamente designada para a garantia de obediência, fé e amor de Adão e Eva a Deus. O Senhor ordenou a Adão que não comesse e não tocasse na árvore, porque senão entraria a morte, mas que de toda árvore do jardim comece livremente (Genesis 2:16,17). Em Seu plano onisciente, Deus determinou testar a lealdade de Adão e Eva (mulher criada para ser sua auxiliadora), antes que pudessem ser considerados eternamente fora de perigo, eles teriam o apoio divino. O SENHOR não colocou o mal fora do alcance deles. Satanás teve permissão para tentá-los e se eles resistissem à tentação permaneceriam no eterno favor de Deus e dos anjos celestiais.

Depois de ser expulso do céu, Satanás estava espantado diante de sua nova condição. Sua felicidade havia acabado, olhava para os anjos que assim como ele antes, foram tão felizes, mas foram expulsos do céu em sua companhia. Antes de sua queda, nenhuma sombra de descontentamento havia nublado sua perfeita alegria. Com a rebelião entrou discórdia e ásperas recriminações. Antes da rebelião, estes comportamentos eram desconhecidos no céu.

Foi a terça parte dos anjos seduzidos por Satanás que se rebelaram contra o Criador, o inimigo ergueu-se de orgulho, e assumiu ar de desafio, informando seus planos para afastar de Deus, o casal Adão e Eva. Ele cobiçou tomar o lugar do próprio Deus: "eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono (...) subirei acima das mais altas nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo" (Isaías 14:13 e 14).

Sua queda e também a de todos os espíritos que se uniram a ele é inconvertível; não há esperança de redenção. Satanás está impedido de ter comunhão com o Deus Santo de forma final e irrecuperável. (Mateus 25:41).

Após pecar, Adão e Eva deixaram o aprazível jardim, onde tinham sido felizes antes da desobediência à ordem dada por Deus. A atmosfera estava mudada, não era mais invariável como antes da transgressão.

E Deus sacrificou um cordeiro e fez túnicas de pele para vestir Adão e Eva. (Genesis 3:21-24) 

E havendo lançado-os fora  do jardim do Éden, os anjos foram comissionados a visitar o casal que desobedeceu a Deus e caiu, informando-os de que, embora não pudessem ter a posse do seu perfeito jardim, por causa da transgressão da lei de Deus, o caso deles não era sem esperança. Adão e Eva foram informados de que o Filho de Deus que conversava com eles no jardim do Éden, havia sentido piedade ao contemplar sua desesperada condição, e morreria para que o ser humano pudesse viver, por meio da fé na expiação que Jesus propôs fazer. Por meio de Cristo, a porta de esperança está aberta para que o ser humano, apesar de seu grande pecado, não fique sob controle de Satanás.

"Quase esqueci, mas tenho uma coisa para te dizer..."

Thais Rocholi
Thais Rocholi

Por Thais Oliveira

Minha mãe quando está no final de uma conversa ao celular, usa muito essa expressão, principalmente quando tem alguma coisa importante para falar e que só vai lembrar depois de um tempo conversando.

Agora vou te revelar algo, porque não fiz voto de silêncio!

Deus gerou Cristo! Isso mesmo... mas fez cada um de nós. Ele não é um Deus impessoal. Quando nos achegamos de forma simples e nos ajoelhamos em oração para nos conectar com Ele, ficamos convencidos de que quem nos induziu a orar também foi Deus, ou melhor dizendo, o Espírito dEle que se comunica com o nosso. O Senhor Yahweh desde a criação tinha em seu coração um plano que era o de fazer morada na Terra com os homens, Ele preferiu se relacionar com os seres humanos do que com os animais e a natureza, preferiu mais a companhia humana do que a dos anjos!

Em todas as passagens bíblicas há histórias de um Deus a procura de seus filhos!

"...pois todo aquele que entra no descanso de Deus, também descansa das suas obras, como Deus descansou das suas." Hebreus 4:10

O desejo de Jesus é que possamos nos achegar a Ele confiantes, certos de sua acolhida misericordiosa. Sua presença é uma nova forma de se alimentar e viver, pois nEle há conforto e descanso! Certamente está mais para um investimento de tempo do que elaborar gráficos de estresse.

Quanto mais você pensa em mudança de perspectiva, muita coisa acaba mudando para melhor com Cristo em sua vida! Falo de melhor, no sentido de haver um significado para os dias. 

Algumas vezes somos recomendados a muitos prazeres e poucas privações, mas parti da ideia de que os excessos de prazeres se pagam, trazem consequências! Pois: "O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, em Cristo Jesus nosso Senhor." Romanos 6:23. 

"Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus." Colossenses 3:1,3.

Se tudo o que você quiser for apenas restrito a esse mundo, morrendo a cada dia, sem ressuscitar com Cristo, não é o que vou te aconselhar em meus posts, mas se você quiser a Vida Eterna com Ele, continue acompanhando a leitura!! E principalmente, leia a Bíblia, lá tem uma promessa e resposta para tudo que esqueci de ... contar!!

O relacionamento de Deus com o ser humano

Thais Rocholi
Thais Rocholi


Por Thais Oliveira

Para meditar... "Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como nos céus" (Mateus 5: 10).

Por trás das cortinas do tempo, no jardim do Edén é descrita a história do relacionamento de Deus com o ser por Ele criado, bem como um plano sublime e mais excelente do que você possa imaginar hoje. O cenário foi montado para nós, o céu desceu à terra e a terra tocou o céu. O invisível se mistura ao visível. Deus criou o homem, o homem pecou e a morte entrou (Gênesis 3:1-8), mas há uma esperança para o amanhã, dado que foi por amor que Deus veio em carne, tomou forma humana, habitou entre nós (João 1:1-4) e se entregou numa cruz pagando todos os nossos pecados para ressuscitar ao terceiro dia! A missão do Messias foi a de trazer vida e salvação. Ele foi o primeiro a ressuscitar! "Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda" (1 Coríntios 15:23).

Cristo é o Verbo Vivo (João 1:14), 100% homem e 100% Deus, Ele chegou em forma humana na zona da morte para dar a Vida Eterna com Ele. (João 3:16)

Antes do pecado de Adão e Eva, no jardim do Éden, os céus e a terra eram duas dimensões que se manifestavam em interação contínua e harmoniosa do Deus Criador com Adão e Eva. Havia plenitude na comunhão entre o mundo natural e o espiritual. Adão e Eva foram criados a imagem e semelhança de Altíssimo. (Gênesis 2:7)

Neste lindo Jardim, a presença do Eterno satisfazia completamente, com um diálogo em que o ser humano anelava em preencher a parte de Deus de onde saiu. O maior anseio do Deus Criador  era se sentir parte integrada na comunhão de Sua essência, Sua semelhança e Seu Espírito.

O homem buscava por Sua presença, por querer ser parte e completar. Não havia força, estratégias, e todos os finais de tardes, havia o encontro com o Eterno Deus!

E assim "... que o vosso amor aumente mais e mais em pleno conhecimento e toda a percepção, para aprovardes as coisas excelentes e serdes sinceros e inculpáveis para o Dia de Cristo, cheios do fruto de justiça, o qual é mediante Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus. " (Filipenses 1:9-11).

Pode Copi@r!